Ocorreu um erro neste gadget

segunda-feira, 3 de março de 2014

Resumo aula 1 - História dos Grandes Conflitos

Objetivo não só de debater a História dos Grandes Conflitos, mas também as disputas das Relações Internacionais.

1648 - Paz de Vestfalia.
Resultado da Guerra dos 30 anos.

A Guerra dos 30 anos foi um conflito que durou entre 1618 e 1648 e foi decorrente
 da necessidade de aumento de poder pelas monarquias europeias. Essa concorrência gerou o conflito.

Um exemplo disso foi o caso do Sacro Império Romano Germânico. Dele surgiu a Reforma Protestante. Havia diversos reinos nessa região, alguns católicos e outros, protestantes. 

Ambos não admitiam a prática dentro do Império, de religiões contrárias as suas.

O conflito começou com um levante protestante na cidade de Praga que estimulou outras nações anti-católicas a combaterem o Império Habsburgo, que queria combater os protestantes no Sacro Império e aumentar seu poder político. Inicialmente, os Habsburgos foram vencendo os protestantes e então, desfrutou de imenso território, apoiado pela igreja católica. Os demais então, ficaram preocupados com o surgimento de um grande dominante, que viesse a disputar posteriormente no mercantilismo com eles.

Pouco depois então, após os Habsburgos terem lutado contra Holanda, Dinamarca e Suíça por motivos religiosos, entra a França, católica no conflito, que deixa então de ser religioso.

Em 1648 o tratado de Vestfália negociou os finais da Guerra, pretendendo negociar o conflito que mobilizou quase toda a Europa. A França impôs que os Habsburgos continuassem seu projeto expansionista em direção ao Império Turco-Otomano, e além disso conseguiu com que nações como a Suíça e Holanda conseguissem consolidar a independência de seus estados.

A Paz de Vestfalia inaugurou, então, a RAISON D`ETAT que é a igualdade entre os Estados, a ideia de soberania e de não-intervenção.

As potências que formavam o Sacro Império Romano Germânico nos séculos XVII e XVIII eram França, Grã-Bretanha, Espanha, Portugal e Rússia.

No século XVIII, houve a ascensão dos EUA como potência não europeia e independente. Em 1812, aconteceu a segunda guerra de independência americana. Com as guerras marítimas contra a Inglaterra, os EUA conseguiram mostrar que tinham poder.

1824 - Doutrina Monroe 

Lógica do Sistema Internacional na época era de soma zero. Para um ganhar, o outro tem de perder.

1810 - 1830 - Independências latino-americanas.

Sombra Saraiva diz que essas independências foram o único rombo no Congresso de Viena (lembra, que o Congresso de Viena restabeleceu a Europa pré-napoleônica, inclusive as colônias de cada país? Ele foi em 1815. Estabeleceu o regresso das fronteiras e das dinastias.)

Neste momento, mudou então de RAISON D`ETAT para RAISON DE SYSTHEME.
Um exemplo do funcionamento da segunda, é o fato de a Inglaterra ora se aliar à Santa Aliança (conservadora) e ora se aliar à França (liberal), a fim de equilibrar o sistema.

1822 - Congresso de Verona 

Quando a Grã-Bretanha assume mesmo esse papel de equilíbrio da balança. Com o tempo, a GB se isolou na fase que foi chamada de Isolamento Esplêndido.
A GB não queria que a Santa Aliança ganhasse poder porque os conservadores tinham interesses contrários aos dela, pois ela estava passando pela Revolução Industrial e queria mercados novos, claro.
A GB foi chamada de fiel da balança.

Santa Aliança era formada por Rússia, Prússia e Áustria.

Contrariamente a ela, liberal então, tinha a França.

Conserto Europeu é o nome que se dá ao Sistema criado com o Congresso de Viena.

Divergências entre Rússia e GB: GB era potência naval hegemônica e a Rússia queria saída pro mar quente. Ela buscava isso no estreito de Bósforo, que fica nos Balcãs. A legitimidade das intervenções russas nos Balcãs se dava com o Pan-eslavismo.

Convergências entre Rússia e GB: Ambas queriam conter a França e seu liberalismo, com exceção dos Balcãs.

Divergências entre França e Rússia: liberalismo francês X convervadorismo russo.
Exemplo: independência da Grécia (estimulada pela Revolução Francesa contra o Império Otomano) - 1830


Hobsbawn diz que Revolução Gloriosa + Revolução Industrial formam a 

Revolução Dupla.
França e Inglaterra foram os primeiros a passar pela revolução dupla.

Os liberalismos britânico e francês eram diferentes. Ora convergiam e ora divergiam. O impacto dessas divergências na balança de poder europeia foi a crescente bipolaridade entre blocos que levou a uma multipolaridade. Não houve a iminência perene de um conflito sistêmico porque os princípios, valores e interesses do conserto europeu prevaleceram mesmo após as conferências deixarem de acontecer.



Esta foi a aula 1 de História dos Grandes Conflitos. Dia 20 de fevereiro de 2014.
Aproveitem o estudo.


Nenhum comentário:

Postar um comentário