Ocorreu um erro neste gadget

quinta-feira, 3 de abril de 2014

Aula 2 - História dos Grandes Conflitos

"A Alemanha sempre foi pequena demais ou grande demais para a Europa." Kissinger

Acho que essa é a frase que melhor define essa disciplina.
Tudo gira em torno de Alemanha.
Melhor dizendo, em torno de Alemanha e Império Turco-Otomano.

França e Alemanha disputavam territórios em comum.
A existência da Alemanha sempre representou uma ameaça para a França e vice-versa.
Mas a França também tinha problemas com a Inglaterra...
A única maneira de essas duas se juntarem seria se fosse contra a Alemanha.

Voltando à frase de Kissinger, uma Alemanha pequena demais gera expansionismo francês. Grande demais, uma aliança britânico-francesa.

Um dos exemplos de que a França ia contra a Inglaterra foi o apoio da França na Independência dos EUA. Ela apoiou e ganhou. Com isso, França começava a se achar maior e melhor do que a Inglaterra. Os objetivos franceses eram se consolidar perante à GB e consolidar sua preponderância sobre a Alemanha.

À época de Napoleão, o Sacro Império Romano Germânico foi dissolvido. Se tornou Prússia e Áustria.
Dois Estados fortes, mas que, quando separados, não representavam uma ameaça tão grande.
Dessa forma, os franceses pensavam que haviam tirado a força da Alemanha.
Lutar com a Prússia era fácil.
Lutar com a Áustria era fácil.

Mas após Napoleão, houve o Congresso de Viena, o qual restaurou as Dinastias e fronteiras anteriores a Napoleão.
A Prússia então, passou a governar a Confederação Germânica dos Estados do Norte e a Áustria, passou a governar a Confederação Germânica dos Estados do Sul.
Mas claro, que mesmo assim, Prússia e Áustria não estavam satisfeitas. Elas queriam mais. Se achavam pequenas demais.
Uma não queria se submeter à outra.

Enquanto isso, a França vivia sua fase liberal e expansionista... Dominar a Alemanha poderia ser uma boa jogada...

GB e França foram favoráveis à separação "das alemanhas" no Congresso de Viena. Logo, Alemanha com revanchismo contra a França, mas tinha que ter prudência contra a Inglaterra, porque ela era a maior potência da época.

Bismarck então, importante estrategista prussiano, queria juntar novamente os Estados Alemães... Mas ele sabia que tinha que ser muito cuidadoso com a Inglaterra.
Além do mais, ele sabia que a Inglaterra se juntaria com a França, nesse caso, e então, adeus sonho de unificar.

Exemplo de que o envolvimento britânico era essencial para o caminho de guerras no continente:

ÚNICO CONFLITO SISTÊMICO DO SÉCULO XIX:

GUERRA DA CRIMEIA

Crimeia ficava bem na saída do Mar quente.
Ucrânia com várias nacionalidades dentro de seu território.
A facção que não é pan-eslava dentro da Ucrânia, é ocidentalista.

IMPÉRIO TURCO OTOMANO X RÚSSIA

Ressaltando que a França também tinha interesse na Crimeia para ter acesso ao Norte da África.
a França já tinha o Egito e continuava tendo muito interesse no Oriente Médio.

A Rússia não entrou em guerra direta contra Istambul.
Então, quem começou a guerra?
França. Tentando impedir esse avanço russo.
Se a Rússia já era o grande urso em terra, se obtivesse saída para o mar, se tornaria a maior potência daquela região.

Enquanto a França passa por um enfraquecimento após as Guerras Napoleônicas, a Rússia cresce.

Quando a França entrou em guerra então contra a Rússia, a Inglaterra pensou: OPA! MELHOR A RÚSSIA NÃO VENCER ESSA GUERRA... VOU DAR UMA OLHADINHA PARA VER MELHOR O QUE ESTÁ ACONTECENDO.

Inglaterra percebeu então, que se a França perdesse, a Rússia se fortaleceria e a Alemanha também. Aliás, a Alemanha iria até tentar invadir a França e tomar aquelas benditas Alsácia e Lorena. Quem sabe até um pouco mais de terras também, por que não...

Dessa forma, a GB entrou do lado da França e impôs um retrocesso estratégico à Rússia.
Então, a Rússia, para não perder, assinou o Tratado de Paris e se retirou do conflito.
Com esse acordo, a Crimeia continuava sendo Império Turco-Otomano.

Claro que Bismarck vendo isso, não iria latir para cachorro grande.

VENDO ISSO ENTÃO, Bismarck adotou uma política externa revisionista, onde ele mantinha o Status Quo da Alemanha.
Apesar do revanchismo contra a França, ele tinha muita prudência com a Inglaterra.
Qualquer passo errado poderia gerar um envolvimento da GB e acabar com o seu sonho.
Qualquer passo que parecesse ser um passo expansionista geraria a união das duas. (FRA + GB)

HAVIA só uma maneira de evitar a junção de FRA e GB: Isolar a França diplomaticamente.

Então, a Alemanha de Bismarck fez vários acordos com vários países ao mesmo tempo, a fim de isolar diplomaticamente a França.

Exemplos dessa diplomacia que visava isolar a França:

1) Dupla Aliança: PRÚSSIA + ÁUSTRIA
2) Liga dos Três Imperadores: (PRÚSSIA + ÁUSTRIA + RÚSSIA)

Pensemos na Iugoslávia...
Lá são os Balcans...
Que é Império Turco-Otomano...
Agora pensemos que a Rússia era pan-eslava e que a Áustria era pan-germânica.
Agora pensemos que Bismarck não estava nem aí para isso. Ele queria apenas juntar os Estados Alemães. Pensem que ele colocou Áustria e Rússia juntos na mesma aliança.

O.o

ELE SABIA QUE A ÁUSTRIA E A RÚSSIA TINHAM INTERESSES DIVERGENTES, QUE ERAM OS BALCANS.

Nos Balcans, por exemplo na Bósnia, havia um conflito entre pan-germânicos e pan-eslavos pelo poder local.

PAN-ESLAVOS E PAN-GERMÂNICOS SÓ SE JUNTARIAM SE FOSSE CONTRA O IMPÉRIO TURCO-OTOMANO.

O Império queria que se fizesse reinar o Islamismo.

NA BÓSNIA ENTÃO, tinha o Império Turco-Otomano impondo o Islamismo.
Por consequência, então, havia uma aliança entre Pan-eslavos e Pan-Germânicos contra o Império.
Ambos eram cristãos.

Bismarck sabendo dessa identidade religiosa, pensou: Vou juntá-los numa tripla aliança, pra evitar que a Rússia apoie a França contra meus interesses.

Se ele não afastasse a Rússia da França, ele geraria uma guerra de duas frentes. E a Alemanha do Norte não tinha condições de lidar com isso.

Então, em 1902, foi percebido pela estratégia alemã, que ela precisava ter um plano de guerra em duas frentes: PLANO SCHLIFFEN.

Esse plano foi usado na Primeira e na Segunda Guerra, onde a Alemanha invadiu a Bélgica pela Prússia. 2 vezes.

Os franceses fizeram então, a linha Maginot (daqui os alemães não passam. OS ALEMÃES VÃO TER QUE RESPEITAR A NEUTRALIDADE DA BÉLGICA),

Mas voltando... NESSA ÉPOCA, A ALEMANHA AINDA TINHA QUE EVITAR A GUERRA DE DUAS FRENTES.

As décadas de 80 e 90 foram marcadas por idas e vindas dessa tripla aliança, mas quando Bismarck saiu do poder, ela caiu, visto que as diferenças entre Rússia e Áustria eram insuperáveis.

A Áustria nunca ia de encontro à Prússia porque sabia que era mais fraca, porque sabia que ambas eram da "mesma raça" e porque sabia que tinha o apoio da Prússia nos Balcans.
Mas a Prússia sabia também, que para apoiar os pan-germânicos nos Balcans, ela precisava neutralizar a Rússia de qualquer jeito.
É a história da amante. Bismarck fica tendo relações com Áustria, a esposa e Rússia, a amante. Mas quando o bicho pegasse mesmo, ele iria ficar do lado da esposa, claro.

Bismarck foi levando até onde pôde então, mas com a questão dos balcans, essa decisão seria inevitável.

A Liga dos Três Imperadores foi dissolvida 3 vezes na década de 70.
A última vez em que ela foi ensaiada tinha sido em 69...
Se a Rússia e a França decidissem se unir então, a Alemanha estaria completamente encrencada.
Bismarck nem tenta fazer acordo com a Inglaterra porque sabe que ela tem uma postura isolacionista com a Europa.
Ela só chega pra "resolver o problema."
Então, ele continua garantindo que ele não é uma potência expansionista e ofensiva.

Um exemplo disso é a postura dele com relação à Partilha da África.
Bismarck até tinha poder de ser expansionista na África nesta época, mas não o fez para manter seu rótulo de não-expansionista.

Se França e Rússia percebessem interesses alemães na África, elas entrariam contra a Alemanha e a GB viria como a cereja do bolo.

Bismarck blefa então:
GUERRA FRANCO-PRUSSIANA
CONTEXTO:
Revanchismo germânico contra a França e um acordo militar defensivo entre Confederação Germânica do Norte e do Sul.
"A gente vai manter as forças armadas separadas, mas em caso de ameaça externa, a gente se junta."

Segundo WEBER, o Estado é aquele que detém o monopólio legítimo da força. Então, se os exércitos se juntassem, a Alemanha se formaria.
O que Bismarck fez então?

Vou entrar em guerra contra a França. Tenho o apoio do exército da Áustria mesmo...
Além do mais, no acordo diz que a Conf. Germ. do Norte que lideraria as tropas.

Ele precisava só de um ataque...

Se a Rússia entrasse, se juntaria com a GB e com certeza ele perderia.
A França era a melhor opção.
Já estava isolada diplomaticamente...

Mas se fosse ele que entrasse em guerra, a GB entraria para ajudar a guerra.

Nessa época, França estava sob a liderança de Napoleão III, que era fraco.
Bastava Bismarck provocar ele um pouquinho, que ele declararia a guerra.

Se a declaração de guerra fosse da própria França, a Rússia e nem a GB nada iriam fazer, pois não enxergariam expansionismo alemão ali.

Certo dia então, Napoleão III enviou um chanceler francês até a Alemanha para tirar satisfações sobre uma notícia de jornal dizendo que a Alemanha iria invadir a França (blefe de Bismarck). Mas Bismarck se recusou a receber esse chanceler. Não aceitou a presença francesa em seu território. Então...
NAPOLEÃO III DECLAROU GUERRA CONTRA A ALEMANHA.

OS EXÉRCITOS DE PRÚSSIA E ÁUSTRIA SE JUNTARAM.
ALEMANHA SE FORMOU.
1871.

Na Batalha de Sedan em 1871, Napoleão III foi preso. Os alemães prenderam o Imperador francês.
Mas neste mesmo ano, aconteceu a Comuna de Paris na França...
Então, quando Napoleão foi solto, a França não o quis de volta.

1871 - Início do 1º REICH

A coroação de Guilherme I foi na sala de espelhos do Palácio de Versalhes.
Claro que isso iria gerar um revanchismo francês né?
HUMILHAÇÃO FRANCESA.

Esse revanchismo francês se dava principalmente pela França querer de volta Alsácia e Lorena e África.

Nesta época então, acontecia um aprofundamento dos nacionalismos em vários lugares da Europa.

Nacionalismo expansionista. Isso se chama CHAUVINISMO e passou a embasar as políticas de poder na Europa.
Além disso, políticas expansionistas embasadas em "O fardo do homem branco".

Isso foi esquentando até acabar em 1a Guerra.

Esse chauvinismo gerou insegurança em todo o território europeu.
1890 - Bismarck saiu e entrou o Guilheme II como imperador.

Neste momento, a GB viu a Alemanha como uma ameaça, porque esse cara desfez tudo o que o Bismarck fez com tanto custo.

Bismarck tinha sido discreto, não investiu em forças armadas, nem em marinha, para não chamar a atenção da Inglaterra.
A primeira coisa que Guilherme II fez foi investir em marinha.

FOI A WELTPOLITIK - expansionismo não só europeu, mas também no Oriente Médio e no norte da África. Tudo isso era Império Turco-Otomano.

Iraque e Irã queriam independência do Império Turco-Otomano, assim como todo mundo.
O GRANDE ENFERMO.

O Iraque usava o pan-arabismo. o Irã não usava disso porque era persa.
Mas os dois tinham algo em comum: PETRÓLEO.
O petróleo passava a ser parte importante da matriz energética do século XX.

GB tinha interesse nesse local também.

MARROCOS era de interesse francês por vários motivos.

A França ficou com a parte mais ocidental da África, como Líbia, Tunísia, Marrocos e a GB, com a parte mais oriental.

O MARROCOS QUERIA INDEPENDÊNCIA DO IMPÉRIO TURCO-OTOMANO TAMBÉM.

A FRANÇA O DECLAROU COMO PROTETORADO FRANCÊS E GUILHERME II, ENTÃO, APOIOU SUA INDEPENDÊNCIA COMPLETA. WHY???

Claro que ele ganhou um conflito com a França...
Jogou o trabalho de décadas de Bismarck no lixo.

AH! ELE TAMBÉM SE DECLAROU DE GRAÇA, PROTETOR DE TODOS OS POVOS ÁRABES. why???

Com isso, ele também conseguiu de graça, uma divergência explícita com a Inglaterra.

Como em 1902, a Alemanha já tinha feito o Plano Schliffen, ele estava se sentindo seguro por causa disso, além de estar investindo em Marinha...
Se ele já se sentia uma potência terrestre por estar seguro por este plano, investindo em Marinha, então, ele se sentiu o cara.

A Alemanha forte era um desfavor para a Rússia. Só de se armar, já era um problema.

Isso gerou uma pânico naval na Inglaterra.

Com isso então, a Inglaterra juntou-se então, com França e Rússia contra a Alemanha.
FORMAVA-SE A TRÍPLICE ENTENTE.

Guilherme II que provocou a criação da Tríplice Entente.
França e Rússia nunca se juntariam se a Inglaterra não pedisse.

O Chauvinismo então, gerou ódio por toda a Europa.

Imperialismo: França tinha interesse na Grande Síria, que era Síria + Líbano e no petróleo.

1898 - Quase guerra entre França e Inglaterra. Crise de Fachada.
Mesmo juntas contra a Alemanha, elas entraram nesse conflito pelo Oriente Médio. Inglaterra ganhou e se estabeleceu no norte da África.
Sobrou pouco para a França.

A França continuou querendo a Líbia, Tunísia, etc...

CORRIDAS ARMAMENTISTAS

Nacionalismo na economia = PROTECIONISMO

Governos desvalorizando suas moedas para prejudicar o outro. Isso deixa o outro pobre.
Com isso tudo, os ânimos foram esquentando...
Os grandes não são os primeiros a entrar em guerra.
Geralmente os aliados deles entram e depois eles entram pra ajudar.

Começou no Império Turco-Otomano.
Império enfraquecido...
COBIÇA + CHAUVINISMO = SPILL OVER

BÓSNIA => PAN-GERMÂNICOS
SÉRVIA => PAN-ESLAVOS

BÓSNIA TINHA APOIO DA ÁUSTRIA, QUE TINHA APOIO DA ALEMANHA.
SÉRVIA TINHA APOIO DA RÚSSIA, QUE TINHA APOIO DA GB E DA FRANÇA, SE FOSSE PRA LUTAR CONTRA A ALEMANHA.

HERDEIRO DO TRONO AUSTRÍACO, FRANCISCO FERDINANDO, VAI ATÉ A BÓSNIA COM SUA ESPOSA.
ASSASSINADOS "A LA KENNEDY" POR UMA FACÇÃO SÉRVIA.
A BÓSNIA ENTÃO, DIZ QUE FOI CULPA DOS PAN-ESLAVOS E, LOGO, PEDIRAM AJUDA PARA A ÁUSTRIA. LEMBRANDO QUE FRANCISCO FERDINANDO ERA AUSTRÍACO.
A ÁUSTRIA QUERIA, PORTANTO, O TERRITÓRIO DA SÉRVIA TODO PARA A BÓSNIA PORQUE O PAN-GERMANISMO QUERIA SE SOBREPOR AO PAN-ESLAVISMO.

A ALEMANHA AINDA TINHA A DUPLA ALIANÇA DESDE BISMARCK. MAS A RÚSSIA ENTRA NA GUERRA E NESSE MOMENTO, COMEÇA A FUNCIONAR A TRÍPLICE ENTENTE.

PRIMEIRA GUERRA MUNDIAL

MAS A RÚSSIA NÃO SABIA QUE A ÁUSTRIA TINHA UMA DUPLA ALIANÇA COM A ALEMANHA, PORQUE ESSES ACORDOS ERAM SECRETOS.

SE A ÁUSTRIA SOUBESSE QUE A RÚSSIA IRIA ENTRAR COM A FRANÇA E A INGLATERRA, ELA TERIA DECLARADO GUERRA?
NÃO NÉ?!

DIPLOMACIA SECRETA

SE A RÚSSIA SOUBESSE QUE A ALEMANHA IRIA ENTRAR NA GUERRA, ELA IRIA PRA GUERRA?
TALVEZ...

A RAISON DE SYTHÉME, A FORMA DE FAZER POLÍTICA DO SÉCULO XX TINHA FALIDO.
PASSOU A SER PROBLEMÁTICA COM BISMARCK, VISTO QUE A ALEMANHA NÃO FAZIA PARTE DO CONGRESSO DE VIENA, QUE ANTES ERA RÚSSIA, PRÚSSIA E ÁUSTRIA, FRANÇA E GB.

A ASCENSÃO DOS EUA TAMBÉM NÃO ESTAVA NO CONGRESSO DE VIENA.

ALEMANHA + EUA TIRANDO A HEGEMONIA BRITÂNICA.

O SISTEMA DE CONFERÊNCIAS REGIA O CONCERTO EUROPEU DURANTE O CONGRESSO DE VIENA = SISTEMA DE METTERNICH.

1890 - FORMAÇÃO DA TRÍPLICE ENTENTE COM A WELTPOLITIK

O CONGRESSO DE VIENA E O CONCERTO EUROPEU QUE FIZERAM A ESTABILIDADE DO SÉCULO XX.

QUANDO ISSO RUIU, TIVEMOS A PRIMEIRA GUERRA MUNDIAL.

ENTRE 1902 E 1905, HOUVE A GUERRA ENTRE JAPÃO E RÚSSIA.
A INGLATERRA E OS EUA VIRAM QUE A RÚSSIA ERA FORTE E QUE A LONGO PRAZO, ELA CONSEGUIRIA UMA SAÍDA PARA O MAR QUENTE. VIRAM QUE A RÚSSIA TAMBÉM ESTAVA INDO PARA A ÁSIA. ENTÃO, A INGLATERRA DECIDIU APOIAR O JAPÃO.

TRÍPLICE ALIANÇA: ALEMANHA, ÁUSTRIA-HUNGRIA E ITÁLIA.
A ITÁLIA SAI POR INTERESSES NA LÍBIA E NA ETIÓPIA.

1917 - EUA ENTRAM NA GUERRA E RÚSSIA SAI POR CAUSA DA REVOLUÇÃO RUSSA.
ACORDO DE BREST-LITOWSKI TIRA A RÚSSIA DO CONFLITO.
FOI TAMBÉM UM ACORDO DE PAZ COM A ALEMANHA. 1918.

MOTIVOS PARA OS EUA ENTRAREM:
1) LIVRE NAVEGAÇÃO, LIVRE COMÉRCIO
2) TODO MUNDO, INCLUSIVE A ENTENTE ENDIVIDADA COM ELES.
3) SE A ENTENTE PERDESSE, NINGUÉM IRIA PAGAR AS DÍVIDAS E OS EUA IRIAM PARA O POÇO.
ENTÃO, O GOVERNO DE WOODROW WILSON DECIDE ENTRAR NA GUERRA.
O BRASIL TAMBÉM ENTROU NESTE MESMO ANO.

COMO CONSEQUÊNCIAS DA PRIMEIRA GUERRA, TEMOS O FIM DO PROTAGONISMO EUROPEU NO CENÁRIO MUNDIAL.
1919 - INÍCIO DO FIM DO EUROPEÍSMO

A RÚSSIA PASSAVA A CENTRALIZAR A URSS.
GB PASSOU PELA SUPERVALORIZAÇÃO DA LIBRA, GANHOU UMA BALANÇA COMERCIAL DESFAVORÁVEL.
FRANÇA E ALEMANHA ALTAMENTE ENDIVIDADAS.
ENQUANTO ISSO, OS EUA VIVIAM A FASE DO OURO.

OUTRA CONSEQUÊNCIA DA PRIMEIRA GUERRA: QUESTIONAMENTO DA CAPACIDADE DA EUROPA DE EXERCER PODER SOBRE O MUNDO.

INÍCIO DO FIM DO COLONIALISMO.

1919 - IMPÉRIO TURCO- OTOMANO DIVIDIDO ENTRE FRANÇA E GB.

COLONIALISMO PASSA A SER DE INFLUÊNCIA POLÍTICA.

SISTEMA DE MANDATOS OU DE PROTETORADOS DA LIGA DAS NAÇÕES.

EUROPA AGONIZANDO, MAS AINDA EXERCIA PODER.

URSS SE FECHOU E ASSIM, FOI CRESCENDO SUA INDÚSTRIA, POIS NÃO SE ENVOLVIA NOS CONFLITOS.
DESSA FORMA, SE TORNOU MENOS DEPENDENTE DO MUNDO.

EUROPA PAGANDO PELAS DÍVIDAS COM OS EUA.

CONSEGUEM IMAGINAR ALGUM CENÁRIO VINDO DISSO AI?

.......

É ISSO PESSOAL.
BOA LEITURA!!!









Nenhum comentário:

Postar um comentário