Ocorreu um erro neste gadget

quinta-feira, 3 de abril de 2014

Aula 3 - História dos Grandes Conflitos

Soberania Política Europeia.

Guerra de Sucessão Espanhola: Vitória da GB e Portugal.
Gerou para o Brasil os Tratados de Utrecht, que foram ganhos territoriais, atualmente Amapá e o sul do Rio Grande do Sul.

Durante o período colonial, as guerras sistêmicas, as guerras de conquista, tinham um impacto sobre o sul global, pois havia o "exclusivo colonial".

Revolução Francesa, movimento liberal, guerras napoleônicas = mundo contra o pacto colonial.

Independência do Haiti

1) Faceta liberal-conservadora -> compunha a monarquia constitucional. GIRONDINOS
2) Liberais-Republicanos -> República-> JACOBINOS
3) Liberais-Utópicos ou radicais -> proposta de socialismo utópico

1886 - PRIMEIRO MOVIMENTO COMUNISTA DO MUNDO
1º de maio, foi um movimento operário.

Qualquer liberalismo questionava o cerne da presença europeia no mundo.
Revolução Francesa e Iluminismo, segundo Hobsbawm, foram os primeiros movimentos a ter impacto global. Foram os primeiros movimentos ecumênicos.

Inspiração Francesa na política indiana.

Elites do sul global estudavam na Europa.

FILOJACOBINISMO - afiliação ao liberalismo republicano. Não foi inspiração de movimentos liberais só na Europa, mas no sul global também.

Foi a faisca das independências na América Latina.
Se isso foi a faísca, o que fez explodir foram as guerras napoleônicas.

A invasão de Napoleão à Espanha e Portugal gerou um vazio de poder, que fez com que essas elites vissem uma oportunidade para as independências.

Na América Latina em geral, os filo-jacobinismos levaram à fragmentação -> REPÚBLICAS

1808 - pressão de Napoleão fez a família real se mudar para o Brasil.
Isso nos trouxe inovação.

1822 - D. João teve que voltar a Portugal.

Reação liberal-conservadora -> monarquia constitucional
Declarou Independência

O Concerto Europeu tinha o objetivo de restauração tanto dinástica quanto territorial.

O ABSOLUTISMO NÃO ERA MAIS POSSÍVEL.

Exemplos de que o absolutismo não se sustentava mais:
As Três Ondas Revolucionárias:

1) 1830 - Revolução Liberal do Porto e Revolução Espanhola.
A do Porto levou D. João de volta à Portugal e a Espanhola fez a corte assinar, jurar uma nova constituição, com o apoio do exército espanhol.
Também houve a Independência da Grécia e direitos concedidos ao trabalhador.

2) 1848 - PRIMAVERA DOS POVOS - que embora não tenha sido muito bem sucedida, ou seja, não levou à republicanização da Europa inteira, levou 2 fenômenos bem importantes: um deles foi a queda de Metternich, que era o artífice do concerto europeu na Áustria, no Império Áustro-Húngaro e cada vez mais a noção de que o despostimo tinha que ser esclarecido. Absolutismo iluminado, que levou, na década de 50 e 60 do século XIX a um fim da escravidão na Rússia.

Liberalismo tendo impacto na Europa e nos EUA.

Mas o Status Quo (restauração dinástica e territorial), embora questionado , só foi desafiado com sucesso em 2 casos: na Indep. da Grécia em relação ai Império Turco-Otomano e nas Indep. da América Latina.

Império Turco-Otomano = "O Grande Enfermo" do século XX
Capital = Turquia. A essa época, um estado muçulmano. Ela ocupa uma fatia territorial enorme neste momento.
Vai desde o norte da África, passando pelo leste europeu e pelo Oriente Médio, até as fronteiras com Índia e China.

A China era um império, a Índia era uma colônia britânica (Índia + Paquistão + Bangladesh)

O resto da África = África Subsaariana (colônias de diversos países europeus)

1º adendo: a maneira com que o Império Turco-Otomano governava: ele centralizava e descentralizava o poder.
Algumas partes do Império tinham mais autonomia do que outras e isso muda as relações de cada uma com a Turquia.

O pan-arabismo estava contra os jovens turcos (que eram turcos que queriam uma república).
Mas o pan-arabismo também lutava contra a Turquização, que nada mais era do que a muçulmanização obrigatória, com base no que o Estado turco faria no Império Turco-Otomano.

Nos Balcans, tem os pan-germânicos, que têm apoio posterior da Alemanha, por exemplo: que lutavam contra o Império Turco-Otomano.

É claro que, se a Rússia entrasse para apoiar os pan-eslavos, que também tinham um rivalidade com o pan-germanismo, no momento em que a Rússia entrasse para ajudar o pan-eslavismo, os pan-germânicos se juntariam com o Império Turco-Otomano.
Foi o que aconteceu na Primeira Guerra Mundial.

Nela, a rivalidade entre pan-germ. e pan-eslavos gerou:
Quando Francisco Ferdinando foi assassinado na Bósnia, que então era austríaco, a Áustria declarou guerra contra os pan-eslavos e eles tinham apoio da Rússia...

Por que o Império Turco-Otomano entrou do lado dos alemães?
Porque os alemães não tinham interesse necessariamente em acesso territorial ao Mar Quente.
A Alemanha já tinha se declarado protetora dos povos árabes, reconheceu a independência do Marrocos e então, ela já tinha por onde sair.
Os russos queriam sair pela Crimeia.

A relação entre o pan-arabismo e o pan-germanismo está aí: ambos contra o império turco-otomano, Alemanha reconhece a indep. do Marrocos e ganha saída pro mar.
O império Turco-Otomano então, sem muita escolha, ajuda a Alemanha na guerra, porque a Rússia tinha interesses territoriais na Crimeia e a Alemanha não.

Palestina = início da ocupação judaica.
1898 - 1º Congresso Sionista, que foi onde Israel, que era a antiga palestina, foi declarado "zaia" (não sei se ouvi certo), a terra prometida. Quen então, levou à ocupação judaica na Palestina.

Começava o conflito entre judeus e palestinos.

No início, os judeus faziam atentados terroristas contra os palestinos, igual ao que o Hammas faz hoje.

Síria - também era Império Turco-Otomano. Ela tinha um projeto de Grande Síria, que contava pelo menos com a anexação do Líbano, mas o Líbano não queria isso.

Ninguém estava satisfeito.
AS ALIANÇAS ERAM SÓ INTERESSES.

Não era fácil pros povos que formam o IMP. T.O. (Império Turco-Otomano), juntar forças para lutar contra ele, porque eles tinham que lutar com o seu vizinho também, e quando o bicho pegava, esse vizinho se juntava ao IMP. T. O.

Só a Grécia conseguiu porque a Inglaterra tinha o interesse de afastar a Rússia dessa região.
Se a Rússia conseguisse a Grécia, ela conseguiria chegar mais perto do Mediterrâneo.
A Rússia não reclamou porque aí era mais fácil para ela ter acesso a um Estado mais fraco.

África-Subsaariana - o modelo europeu de colonização teve 2 fases:

1) Até o Congresso de Berlim, que é uma fase que atravessa do mercantilismo ao capitalismo financeiro. Nesta fase, eles não ocupam a África. Há exploração de mão-de-obra, há escravidão, há acumulação de capital primitivo.

2) Imperialismo (chauvinismo = nacionalismo + expansionismo) passar a existir.
Um desses exemplos foi o argumento do fardo do homem branco, ou seja, da missão civilizatória.

O Congresso de Viena dizia que para possuir uma colônia na África, deveria se usar do UTIS POSIDETIS.

A desculpa para ocupar era o fardo do homem branco, e não, o Congresso de Berlim.

Agora, depois do Congresso, o que antes era domínio comercial, virou colônia.

O Egito também estava dentro do Imp. T. O., mas ele tinha autonomia. Então, já estava se industrializando.
A Ingl. então, depôs o presidente e começou a ocupar o Egito, mas a França também queria. Era uma passagem mais lucrativa pra GB. A França queria porque ali no oriente médio tem petróleo, como na Síria e no Líbano, por exemplo.

Então, o que a GB fez pra FRA parar de reclamar?
Fornece à FRA a construção do CANAL DE SUEZ.

Mas ainda assim, a FRA queria entrar em guerra com a GB.
A Península do Sinai já era Francesa.
Se a FRA decidisse entrar em guerra com a GB, ela até poderia, mas ia dar um trabalho danado pra GB.
A GB estava ocupada com suas tropas na China e na Índia.
A FRA estava ocupada em controlar o norte da África.

CHINA: Era um Império. Não era completamente coesa.

Rebelião Taiping na década de 50 e 60. Eles achavam que eram cristãos. Dizem que eles tinham um discurso comunista e que Mao se inspirou neles. Os Taipings meio que desafiaram o Império, abrindo para o exterior, aí o Império não gostou e pediu ajuda.
Foi aí que foram impostos os Tratados desiguais, como o de Nanquim.

Relações Comerciais desfavoráveis para a China.

Antes disso, um sinal de fraqueza da China foram as Guerras do Ópio.
Eram guerras do Império contra a GB.

Então, vieram os Boxers, no século XIX, que queriam se separar da CHINA.

JAPÃO: Samurais, feudal. Era um Império feudal. Autárquico.
Voluntariamente, ele assinou um acordo de livre comércio com a GB, EUA e FRA. Claro, com milhões de canhões apontados para a costa japonesa.

1860 - ERA MEIJI - era de abertura comercial. Era o fim dos samurais e começava o Xintoísmo.

SOMENTE A GRÉCIA E A AMÉRICA LATINA CONSEGUIRAM GRITAR CONTRA A EUROPA, POR QUÊ?

1812 - 2a guerra de indep. dos EUA.
EUA X GB por nordeste de Canadá e EUA. Impasse natal.

Desde a guerra de Secessão, os EUA já eram fortes, mas ali foi quando a GB entendeu que não dava mais pra brincar na América Latina.

1824 - Doutrina Monroe

Se a GB não podia mexer, a FRA iria mexer? Não! A Espanha? Não!

Ninguém tinha poder naval para isso.

Ao longo do século XIX, a GB ofereceu para os EUA um "buffering" no oceano Atlântico. Porque enquanto a GB exercia a PAX BRITANICA, ela isolava os EUA. Ela fazia com que o Atlântico fosse uma zona de proteção à América contra o imperialismo europeu.


Época do capitalismo financeiro -> GB fazendo pressão pro livre comércio nas Américas.

PERCEBEMOS ENTÃO, QUE ENTRE 1815 E 1914, O LIBERALISMO FEZ MUITAS MUDANÇAS.

Mesmo sendo um século de paz, o século XIX trouxe muitas mudanças com o liberalismo.
Mudanças também nas constituições italiana e alemã, que criavam conjunturas para novos conflitos.
Foi um século onde o comportamento da Europa quase não mudou, mas no resto do mundo, sim.

Dentro da Europa Ocidental: tendência a um equilíbrio.
Mas por dentro, os Estados estavam insatisfeitos.

O Conflito nos Balcans, que explodiu, puxou Áustria e Alemanha para o lado da Bósnia e Rússia e GB pro lado da Sérvia. Lembrando que, se fosse contra a Alemanha, a França entrava junto da GB, então, ficou GB + RUS + FRA X ALE.

O maior problema que deflagrou esses conflitos possíveis, já pela formação de alianças, foi o imperialismo.
O que a Áustria queria na Bósnia e o que a Rússia queria na Sérvia, era somente imperialismo.

Com o passar da guerra, a Entente passou a contar com o apoio de EUA + BRASIL + JAPÃO

QUAIS FORAM AS CONSEQUÊNCIAS DA ENTENTE VITORIOSA PARA O SUL GLOBAL?

1) INÍCIO DO PROCESSO DE DESCOLONIZAÇÃO AFRO-ASIÁTICA
2) ESFACELAMENTO DO IMPÉRIO TURCO-OTOMANO
3) INDEPENDÊNCIA DA TURQUIA
4) GUERRA CONTRA PAÍSES EM VOLTA DA TURQUIA ENTRE 1919 E 1922
5) FUNDAÇÃO DA REPÚBLICA TURCA COM O PODER DOS JOVENS TURCOS, QUE ERAM REPUBLICANOS LAICOS.
6) CONFERÊNCIA DE SAN RENO: SISTEMA DE MANDATOS. A GB FICOU BASICAMENTE COM IRÃ, IRAQUE E PALESTINA, JORDÂNIA E ARÁBIA SAUDITA. A FRANÇA FICOU COM A GRANDE SÍRIA (SÍRIA + LÍBANO). ESSE SISTEMA DE MANDATOS ERA O SISTEMA DE PROTETORADOS, OU SEJA, HAVIA GOVERNOS LOCAIS, MAS ERAM GOVERNOS LOCAIS BANCADOS PELOS GOVERNOS CENTRAIS DE GB E FRANÇA. ISSO É IMPORTANTE PORQUE AS INDEPENDÊNCIAS DESSES PAÍSES ACONTECERAM NO PERÍODO INICIAL DA SEGUNDA GUERRA.
7) OS PROTETORADOS SOFRERAM INFLUÊNCIAS NAZI-FASCISTAS DESDE  O INÍCIO DA DÉCADA DE 80. UM DOS MOTIVOS FOI O PETRÓLEO E OUTRO MOTIVO FOI A LOCALIZAÇÃO PARA PASSAGEM PRO EXTREMO ORIENTE.
NAZISTAS QUERIAM PETRÓLEO E QUERIAM O IRAQUE, IRÃ, SÍRIA, ETC.
ELES DAVAM GRANA PARA AS ELITES LOCAIS. A SÍRIA VENDIA PARA O EIXO. ISSO SE TORNOU UM PROBLEMA DEPOIS.
8) IRÃ E IRAQUE FICARAM INDEPENDENTES COM APOIO DA GB, DESDE QUE ELES FICASSEM DO LADO DA GB NAS GUERRAS.
9) A PALESTINA CONTINUA SENDO PROTETORADO BRITÂNICO. OS BRITÂNICOS SE ENROLAM PROMETENDO A ELES QUE NÃO DEIXARIAM MAIS IREM JUDEUS PARA A PALESTINA, MAS TAMBÉM PROMETERAM AOS JUDEUS QUE CRIARIAM UM ESTADO NA PALESTINA PARA ELES. AO MESMO TEMPO, PROMETEM AOS FRANCESES QUE VÃO DIVIDIR A PALESTINA PARA ELES.
GB SE FERROU UM POUCO NESSA.

CONSEQUÊNCIAS DESSAS PROMESSAS DA GB:

HITLER -> HOLOCAUSTO -> MUNDO QUERENDO APOIO AOS JUDEUS, TIDOS COMO VÍTIMAS DE TÃO BRUTAL ATAQUE.
A PRESSÃO PARA A CRIAÇÃO DO ESTADO JUDEU AUMENTA...
ISSO ACABA PUXANDO BOA PARTE DOS CONFLITOS NO ORIENTE MÉDIO, ATÉ HOJE...



Nenhum comentário:

Postar um comentário